Funcionários dizem que estão há 4 meses sem salários

Os funcionários do Hospital Regional de Sinop (a 252 km de Cuiabá), que teve intervenção decretada pelo governador Mauro Mendes (DEM), estão há quatro meses sem salários. O Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Saúde em Mato Grosso (Sessamt) formalizou uma denúncia à Justiça do Trabalho nesta quarta-feira (16).

 

O diretor administrativo do Sessamt, Gelson dos Santos, informou que essa é a segunda denúncia enviada ao MPT-MT. O sindicato é responsável por representar funcionários do setor administrativo, portaria, vigilância e lavanderia do hospital.

 

“Fizemos a denúncia como trabalho análogo à escravidão, porque os funcionários estão sem receber há quatro meses. Todos dependem desse dinheiro para pagar as contas e não temos nenhum tipo de garantia de que receberão”, explicou.

 

De acordo com Gelson, a diretoria do sindicato participou de uma reunião como o Instituto Gerir, organização social de saúde (OSS) responsável pelo gerenciamento do hospital, na terça-feira (15).

 

“Eles [o instituto] alegam que os salários estão atrasados por falta de repasses do Governo”, disse.

 

Os repasses estão pendentes em razão da crise econômica no Executivo.

 

Intervenção

 

Mendes (DEM) decretou intervenção no Hospital Regional de Sinop nesta quinta-feira (17). O governador aponta que a OSS teria descumprido a Lei Complementar 583/2017, que termina a obrigação da formação de um fundo de reserva legal.

 

“Mesmo pactuado, a Organização Social Instituto Gerir não realizou a retenção mensal do percentual mínino de 3%, descumprindo gravemente o Contrato de Gestão nº001/SES/MT/2018”, como publicado no Diário Oficial.

Inscreva-se